comercial@powerploter.com.br
(31) 3636-9882
(31) 3022-3000

Titulo

Caption

Preparando a sua imagem para uma impressão

//
Postado por
/
Comentario0

Estamos falando de impressão a partir de arquivos digitais, então vamos partir do pressuposto de que a imagem já está em um arquivo digital. Em outro texto falaremos sobre os melhores procedimentos para a captura da imagem, mas por agora consideraremos que a imagem já está em seu computador.

Nossas recomendações são:

1. Trate a imagem em seu tamanho original, deixe os cortes (crops) e interpolações para o final. É muito prático ter um original tratado sem cortes e sem interpolação, pois isso facilita a sua vida no caso de uma mudança de planos de última hora. Isso vale tanto para imagens capturadas em JPG quanto em RAW, embora fotografando em RAW e tratando em softwares como o Adobe Lightroom essa abordagem se torne mais natural. De qualquer forma devemos manter essa prática até quando exportarmos para o Photoshop: exporte no tamanho original, sem cortes e faça o resto do tratamento na imagem inteira. Não se preocupe demais com o mito dos 300dpi, muitas vezes é possível gerar imagens perfeitas com bem menos que isso dependendo do papel e do tamanho final.

2. Fuja do JPEG. Mesmo que você tenha capturado a imagem em JPEG, após tratá-la salve em algum formato que não use compressão com perda. Formatos TIFF ou PSD são boas opções. Claro que podemos imprimir belas imagens de arquivos JPEG, mas se pudermos não jogar dados fora é melhor.

3. Caso você tenha um monitor de boa qualidade (próprio para tratamento de imagens) calibrado e caracterizado por hardware e já saiba qual papel usará para a impressão, solicite-nos o perfil ICC do papel em questão para o nosso sistema de impressão. De posse desse perfil você pode fazer um “softproof” para prever como as cores se comportarão na impressão. Entretanto, se você não tem um bom monitor calibrado e caracterizado por hardware e não sabe o que é “softproof”, não se preocupe com isso por enquanto. A etapa final da preparação em nosso estúdio envolve a realização desse “softproof” em nossos computadores e ambientes específicos para esse fim e, preferencialmente, com você ao lado para opinar.

4. Converse conosco caso tenha alguma dúvida antes de gerar o arquivo final. Impressão não é “laboratório expresso” e o serviço que você está contratando inclui a atenção especial da nossa equipe. Sempre sugerimos que os clientes tragam seus arquivos tratados, em Adobe RGB, no formato PSD ou TIFF, sem acréscimo de margens. Se a imagem tiver sofrido algum corte (“crop”), sugerimos que traga também a versão integral, já tratada, mas sem cortes. Os cortes, uma eventual interpolação e o acréscimo de margens poderão feitos pela nossa equipe, após a definição de papel e do tamanho exato da imagem. A escolha do papel é uma etapa muito importante e ninguém melhor que nossos especialistas para auxiliá-lo nesse processo.

5. Esteja junto durante o parto da sua cria, afinal a obra é sua e tem que agradar a você.

Seguindo essas sugestões você reduzirá bastante a possibilidade de ter qualquer problema na impressão e terá como mudar de ideia quanto a formatos e tamanhos de última hora sem grandes preocupações.